Conglomerados

Criamos este conteúdo para te ajudar a entender quando citamos uma companhia que faz parte de um grupo ou um conglomerado. Existem diversas razões para companhias de cruzeiros se juntarem em grandes blocos, visando a expansão rápida e domínio do mercado. Ainda, é também comum que companhias sejam divididas entre duas ou mais companhias menores porém ainda façam parte do mesmo mercado global.

No cenário atual do mercado, temos três blocos que juntos dominam cerca de 85% do mercado de cruzeiros, sendo um deles responsável por quase metade do lucro global. Isto deixa pouco espaço para companhias novas se estabelecerem e pouca margem de lucro para companhias pequenas explorarem novos mercados sem gastar muito dinheiro. Ainda, gostamos de lembrar que a maior parte das companhias de cruzeiros existentes atualmente são companhias de capital aberto, ou seja, qualquer pessoa ou companhia pode adquirir ações, até se tornar um sócio majoritário da mesma.

Quando empresas fazem parte de um mesmo grupo, existem benefícios e algumas desvantagem para seus tripulantes. Um dos benefícios mais abrangentes é o processo seletivo integrado, onde um candidato pode utilizar o mesmo site ou ferramenta para aplicar para várias companhias de um mesmo grupo. Outro benefício é que algumas empresas permitem que seus tripulantes apliquem ou sejam transferidos entre companhias de um mesmo bloco. A desvantagem que muitos tripulantes enfrentam no entanto, é ser relacionado a uma empresa e ser impedido de mudar para outra justamente por já fazer parte de uma companhia daquele bloco. Ainda, em casos de demissões ou rescisões de contrato – quando o tripulante pede sign off antes do término do contrato – se torna impossível aplicar para algumas companhias do mesmo grupo.

Vamos conhecer os três grupos que dominam o mercado? Confira abaixo:

CARNIVAL CORPORATION

  • Carnival Cruise Line (22%)
  • Holland America Line (3.2%)
  • Princess Cruises (6.4%)
  • Seabourn (0.2%)
  • AIDA (4.6%)
  • Costa Crociere (6%)
  • P&O (2.4%)
  • P&O Australia (1.9%)
  • Cunard Line (0.7%)

=
47.2%

ROYAL CARIBBEAN CRUISES

  • Royal Caribbean International (19.2%)
  • Celebrity Cruises (3.5%)
  • Azamara Club Cruises (0.3%)
  • Pullmantur (1.4%)
  • TUI Cruises (2%)
  • Marella Cruises (0.4%)
  • Hapag-Lloyd (0.3%)
  • International Expeditions (0%)
  • Zegrahm Expeditions (0%)

=
27.1%

GENTING HOLDINGS

  • Dream Cruises (1%)
  • Star Cruises (0.9%)
  • Crystal Cruises (2.3%)
  • Norwegian Cruise Line (8.7%)
  • Oceania Cruises (0.5%)
  • Regent Seven Seas (0.3%)

=
13.6%

E as outras companhias?

Todas as outras companhias do mundo dos cruzeiros são iniciativas privadas e possuem donos específicos, tornando as pouco visíveis no mercado, porém todas ainda são capazes de conquistar seus nichos específicos, pois se não fossem capazes, já teriam fechado as portas há muito tempo. Faltou fazer uma menção honrosa para as duas maiores companhias privadas que existem: A MSC Cruises e a Disney Cruise Line.

A MSC Cruises é a maior companhia de cruzeiros da Europa e também a maior companhia de cruzeiros privada do mundo, com 7.2% do mercado global de cruzeiros. É de se esperar que estes números cresçam com a expansão da companhia para os mercados Asiáticos e Norte Americanos a partir de 2019.

A queridinha Disney Cruise Line fica um pouco atrás, com apenas 2.3% do mercado, em grande parte influenciado pelo alto valor de seus cruzeiros e pela falta de itinerários. Tudo leva a crer que este número irá se alterar ao longo dos anos, visto que a companhia já possui planos para a compra de novos e revitalizados navios para atender a demanda de um público que fica cada vez mais exigente.

Todas as outras companhias, por mais famosas ou não, representam menos de 1% do mercado global de cruzeiros. Lembrando que este percentual só engloba companhias de cruzeiros, excluindo Yachts, River Cruises e Ferries.